Patricia e Nelson Kuwahara
7 de janeiro de 2015
Oncoinfertilidade
7 de janeiro de 2015

Chega de TPM

A mulher pode interromper seu ciclo menstrual sem ter nenhum malefício para a saúde
Todo mês é a mesma coisa. Tensão pré-menstrual, cólica, remédios para dor e vários absorventes. Essa rotina tira o humor de muitas mulheres e só de se aproximar a data do ciclo o estresse toma conta e dá espaço a uma porção de sentimentos como irritação e sensibilidade. O que muitas mulheres ainda não sabem é que podem suspender a menstruação sem causar nenhum malefício ao corpo, pelo contrário, podendo contribuir com a sua saúde, como, por exemplo, na preservação da sua fertilidade.

O Ginecologista Obstetra Arthur Lemos, que atua em reprodução humana e é chefe da equipe médica do centro de reprodução Fêmina, em Manaus, explica que interromper o ciclo menstrual não traz nenhum problema a mulher e afirma que, algumas vezes, o sangramento mensal pode até causar doenças, como é o caso da endometriose, que pode levar à infertilidade. De maneira simplificada, uma das teorias sobre a doença diz que a mesma seria ocasionada pela repetição do ciclo menstrual, já que quando a mulher menstrua, automaticamente, há refluxo do sangue caindo na cavidade uterina, e fora da cavidade do útero, também . “Aquelas gotinhas retidas no corpo causam uma espécie de infiltração, o que evidência o surgimento da doença. Por outro lado, não é uma regra que toda mulher terá endometriose, comenta o especialista”. Segundo ele, dores como a de cólica podem ser um sinal da doença. Desconforta nas relações sexuais.

A boa notícia é que, de acordo com o Dr. Arthur, hoje em dia nenhuma mulher tem necessidade de ter o ciclo menstrual. “Vemos nas grandes capitais garotas que nunca tiveram um ciclo e outras que interromperam e que tem trompas, ovário e útero em ótimos estados”, ressalta. De acordo com ele, existem mais de mil possibilidades para se interromper o ciclo menstrual e nenhuma delas tem grandes efeitos colaterais, isso quando a paciente utiliza o medicamento correto para o seu biotipo.

O ginecologista explica, ainda, que o mito de que tomar pílulas anticoncepcionais, por exemplo, engorda,que elimina toxinas que limpa organismo. há muito tempo já foi desmitificado e o comprimido também não causa infertilidade. “Antigamente, há 60 anos, quando o medicamento foi criado, as pílulas tinham muinto hormônio – o que excedia a substância na mulher, mas nunca causou infertilidade. Hoje, a quantidade de hormônio nos medicamentos não chega a uma grama”, detalha.

Esclarecidos os mitos sobre o uso do anticoncepcional, a mulher deve procurar um ginecologista onde fará todos os exames que comprovarão que sua saúde está em dia. O médico vai verificar o funcionamento de cada órgão e depois disso indicar o melhor tratamento. Arthur Lemos acrescenta que é fundamental que seja feita uma análise detalhada para que no futuro a mulher não tenha nenhum problema.

Segundo o ginecologista, a mulher pode interromper a menstruação por diversos anos e quando desejar ter filhos, basta suspender o uso do anticoncepcional que estará em plena forma para engravidar. “Uma das vantagens de não menstruar é que a mulher conseguirá preservar todos os órgãos responsáveis e úteis para uma gravidez saudável”.

Mas o que fazer ou o que tomar para parar de menstruar?

Como o ginecologista disse, há mais de mil tipos de anticoncepcionais no mercado, entre eles os comprimidos, adesivos (pequena substância que é aplicada na pele), ou um anel colocado na vagina. E embora nos casos mais complicados um tratamento possa chegar a , os preços dos medicamentos mais comuns podem variar entre R$ 3 a R$ 800.

As pílulas anticoncepcionais chegam a custar R$ 3 na Farmácia Popular, o tratamento com adesivo sai em média por R$ 60 reais, valor de uma caixa que vem com três unidades que devem ser usados durante sete dias cada um. O adesivo não descola durante o banho, ginástica ou piscina. Estes dois tratamentos são contínuos e podem ser abandonados no momento em que a mulher quiser, por exemplo, engravidar.

No caso da substância aplicada na parte de dentro do antebraço, a mulher fica até três anos sem ter um ciclo menstrual e o tratamento sai por R$ 700, Tem SIU (SISTEMA INTRA UTERINO) que fica sem menstruar em 99% dos casos, ideal para quem já teve filhos, ele tem duração de cinco anos. “Outro benefício é que todos estes tratamentos interrompem não somente a menstruação, como também acabam com a TPM, espinhas causadas pelos hormônios e muitas outras coisas inconvenientes para a mulher,como candidiase de repetição e corrimentos.

Agora é só procurar o seu ginecologista e escolher o seu tratamento.

A partir de 16 de Julho de 2012 o ProBEM aprovará toda paciente que, em decorrência de doenças que necessitem tratamento quimioterápico, opte pela coleta de óvulos.
Esse benefício será concedido para que as pacientes possam adquirir os medicamentos com 50% de desconto sem nenhuma comprovação de renda, apresentando apenas os seguintes documentos.

– Declaração do oncologista informando que a paciente passará por tratamento quimioterápico e que está apta à estimulação ovariana, sem que esse procedimento interfira no seu estado de saúde atual.

– Declaração do fertileuta informando que a paciente está apta à estimulação ovariana e ao procedimento de coleta de óvulos.

Lembramos que a veracidade das informações prestadas é de inteira responsabilidade do médico atestante e poderão ser analisadas com o devido respeito e confidencialidade pela equipe do ProBEM.

Convidamos a conhecer mais sobre o ProBEM e seus programas de benefícios voltados ao bem-estar de pacientes – www.probem.med.br

Certos de estarmos mais uma vez contribuindo com a qualidade de vida e bem-estar de seus pacientes, nos colocamos a disposição para eventuais dúvidas que possam surgir.