Fator Endometriose

Fator Endometriose

Endométrio é o tecido que reveste o útero internamente e é formado entre as menstruações. Esta “película” se solta e sai juntamente como sangue, cada vez que a mulher menstrua.

Por razões ainda não definidas, esse revestimento pode migrar e se alojar em outros órgãos como ovários, trompas, intestinos, bexiga, peritôneo até mesmo no próprio útero, dentro do músculo. Quando isso, acontece, dá-se o nome de endometriose (no útero tem o nome de Adenomiose), ou seja, endométrio fora do seu local habitual.

A endometriose é responsável por cerca de 40% das causas femininas da infertilidade. A moléstia não é maligna e em certas pacientes se manifesta apenas discretamente, com leve aumento na intensidade das cólicas menstruais. Em outras, pode ser um martírio com dores fortes e sangramentos abundantes.

Em qualquer uma das situações, seja qual for o grau de endometriose, a fertilidade pode estar comprometida. Os indícios da existência desta doença podem ser dados, além da história clínica, pela dosagem no sangue de uma substância chamada CA125 e por imagem suspeita vista pelo ultrassom.

Exames como PCR, SAA, Anticardiolipina IgG, IgA e IgM representam uma opção para pesquisa e tratamentos imunológicos futuros desta patologia. Para confirmar o diagnóstico e graduar o comprometimento da sua própria existência, a videolaparoscopia é essencial, podendo-se, através dela obter também a cura com a cauterização e ressecção dos focos. O tratamento clínico medicamentoso complementar é uma alternativa que deve ser avaliada caso a caso.